A data do Natal

O nascimento de Cristo antes de Cristo
© Christos Georghiou / Fotolia
Os livros que fornecem informações para essa investigação são os evangelhos de Mateus e Lucas. A obra do regenerado coletor de impostos oferece algumas referências históricas importantes no capítulo 2. Em primeiro lugar, Jesus nasceu em Belém e no tempo em que Herodes governava a Judeia. O relato também informa que Herodes mandou realizar um massacre de bebês meninos, após perceber que os homens do Oriente não apareceriam para lhe trazer informações sobre Jesus. Outro dado interessante é que Arquelau, seu filho, reinou sobre a Judeia em seu lugar. 
 
Lucas, por outro lado, escreveu o seguinte: o nascimento de Jesus foi nos dias do imperador romano César Augusto. O autor acrescenta que houve um censo administrado na província da Síria, mandado por Quirino. Esse levantamento fez José sair de Nazaré para Belém, cidade que estava lotada e que não pôde abrigar Jesus com conforto. Por isso, o jeito foi realizar o parto num estábulo e colocar o menino sobre uma manjedoura. 
 
O imperador romano César Augusto reinou de 27 a. C. a 14 d.C., num tempo de relativa paz no império, a conhecida pax romana. Foi um bom administrador e parece ter liderado diversos censos: no Egito, de 14 em 14 anos; e um na Judeia, no ano 6 d.C., cujo resultado foi uma forte reação popular. Sobre o censo que levou José a ir para Belém, não existem muitas informações de fontes antigas, além do Novo Testamento.
 
Herodes I, também conhecido como o Grande, marcou o início de uma nova dinastia na Judeia e a transformou em um reino vassalo ao império romano. Reinou de 37 a.C. até sua morte no ano 4 a.C., dado que apontaria para o nascimento de Jesus nessa época. Herodes foi conhecido por ser um governante cruel e um dos maiores construtores da história dos judeus, tendo se tornado famoso por ampliar o templo de Jerusalém, pela construção do porto marítimo de Cesareia e da fortaleza de Massada. 
 
Após sua morte, seu reino foi dividido entre seus três filhos, Arquelau, que herdou a região da Judeia, Samaria e Edom; Herodes Antipas, que ficou com a região da Galileia; e Filipe, que herdou os territórios a leste do Rio Jordão. O administrador do censo, Quirino, foi o responsável pelo levantamento do ano 6 e 7 d.C, que o historiador Flávio Josefo liga a uma revolta popular liderada por Judas da Galileia. 
 
Quirino era governador da província da Síria nessa época, diga-se de passagem, devido à incompetência administrativa de Arquelau, pelo menos na opinião do César. Possivelmente, ele já detivesse posições administrativas importantes relativas ao censo, antes da morte de Herodes, o Grande. 
 
Como forma de verificar nossas conclusões quanto ao nascimento de Cristo, outros dados do evangelho podem ser úteis. João Batista pregava no deserto no 15º ano do reinado de Tibério César, sucessor de Augusto, e sabe-se que o reinado de Tibério iniciou-se no ano 14 de nossa era. Somando os quinze anos mencionados a data do início do reinado dele, chegamos aproximadamente ao ano 28 ou 29. Nessa época, Lucas 3:23 afirma que Jesus tinha por volta de 30 anos de idade, o que nos leva ao seu nascimento por volta do ano 4 a.C. Tudo isso se as datas forem arredondadas e se consideramos que Jesus nasceu antes da morte de Herodes. 
 
Mas e quanto à época do ano? Em virtude de Lucas destacar a presença dos pastores guardando suas ovelhas, durante a noite, próximos de Belém, uma inferência nos é possível: Esse tipo de atividade no inverno teria sido bem improvável. Primeiramente por causa do frio severo dessa época na região e também por causa das proibições rabínicas quanto ao pastoreio próximo a Belém antes de fevereiro, quando começa a primavera no hemisfério norte. Tudo isso torna improvável, embora não impossível, o dia 25 de dezembro como a data natalícia de Cristo.
 
Portanto, ficou claro que o cenário histórico apresentado pelos evangelhos condiz com as informações disponíveis hoje sobre o início da nossa era. A morte de Herodes torna patente que Jesus não pode ter nascido antes do ano 4 a.C., aproximadamente, e que a cronologia de João Batista confirma essa data. Além disso, vimos que o inverno do hemisfério norte, o que abrange a data de 25 de dezembro, é uma estação improvável para o nascimento de Jesus. Mas, apesar disso, o impacto simbólico da celebração do nascimento de Cristo continua o mesmo. Feliz Natal!
Autor: Matheus Grillo - Publicado em: 20/12/2013 - Fonte: