Opostos

Os garotos de rua que encontraram na leitura o caminho para a universidade
Michele Marques

 

Faltavam algumas horas e a expectativa era de ansiedade e ao mesmo tempo de alegria pela exibição do nosso Trabalho de Conclusão de Curso, o conhecido e temido TCC. Era a segunda semana de dezembro de 2009 e lá estavam Marisson, Rodrigo, eu e a galera que nos ajudou na produção do vídeo, inclusive os protagonistas do documentário. 
 
A partir daquela noite, a lição de vida dada por dois amigos ex-moradores de rua seria potencializada pelo nosso trabalho, inspirando assim mais pessoas a buscar superação. Embora aquele momento marcasse o fim da nossa tarefa acadêmica, anos mais tarde, para nossa surpresa, o vídeo motivaria pessoas dentro e fora do Brasil.
 
O recado
Nossa produção tinha que deixar claro o que inspirou os dois amigos a mudar de vida: a busca incansável por conhecimento através da leitura. Isso foi repetido inúmeras vezes pelos protagonistas durante as gravações. “Sem ela, a leitura, seria impossível sonhar com a carreira acadêmica”, diziam eles. 
 
Mais dois elementos-chave não poderiam ficar de fora: a dedicação pessoal e a fé em Deus. Aliás, a espiritualidade foi o que norteou o desfecho do vídeo. A soma dessas características na biografia do Dr. Luiz Cietto e Dr. Daniel da Silva nos convenceram de que essa história precisava ser contada. Uma história com surpresas, emoção, forte apelo motivacional e convite à reflexão. 
 
O início
A ideia do documentário foi motivar estudantes sem muitas perspectivas a ingressar em uma faculdade. Seria interessante que mais pessoas pudessem ter acesso ao ensino que tivemos no Centro Universitário Adventista de São Paulo (unasp.edu.br). Dessa maneira, o projeto foi sendo amadurecido e formatado com a ajuda do amigo Tuiu Costa.
 
Como a maioria dos universitários brasileiros, nosso grupo de trabalho também tinha enfrentado muitas dificuldades para ingressar na faculdade e concluir o curso de Jornalismo. Por isso, nossa identificação com a história dos protagonistas foi automática, sentimento que impulsionou toda a equipe a dar seu melhor. 
 
Um modelo
Uma história especial de sucesso, fé e superação também nos serviu de modelo e referência para a fundamentação teórica: a trajetória do Dr. Benjamin Solomon Carson. Um menino pobre que se tornou neurocirurgião de fama mundial. Nascer em um contexto desfavorável de Detroit, não impediu Ben Carson de chegar, aos 33 anos, à direção do Centro de Neurologia Pediátrica do Hospital Universitário Johns Hopkins, em Baltimore, EUA. Sua história também foi contada em um filme, em 2009, estrelado por Cuba Gooding Jr.
 
As lições
Na produção sobre os doutores brasileiros, procuramos destacar três aspectos: infância, amizade e caráter. Para ambos, os primeiros anos foram marcados por brigas familiares, surras e maus-tratos em casa. Situação que os levou a morar nas ruas de São Paulo. Eles tiveram oportunidades de sobra para se desviarem do caminho da dignidade, mas optaram pelo sonho acadêmico.  A amizade, construída quando dormiam em bancos de praças públicas, serviu de refúgio emocional, em substituição à família que deixaram. Antes de dividir sonhos, Luiz e Daniel aprenderam a repartir o pão de cada dia. 
 
Para nossa surpresa, a simplicidade e humildade aprendidas nas ruas não foram perdidas com a mudança de vida. Luiz Cietto fez pós-doutorado em Direito Sanitário e foi o coordenador do curso de Enfermagem da Unicamp; Daniel Silva se formou em Enfermagem e Direito, trabalhou como auditor fiscal da Receita Federal e agora tem um escritório de advocacia. Durante as gravações, ambos fizeram questão de atribuir a Deus a reviravolta de sua vida. Algo raro em tempos de popularidade meteórica e sucesso instantâneo.
 
 
 
Autor: Andreson Sousa - Publicado em: 01/01/2013 - Fonte: