Perguntas

Artes marciais, anjos, magnetismo e Tiradentes
Blas/Fotolia

 

Básica

Quem são os anjos?

Texto Eduardo Rueda
 
Fofinhos, de pele rosada, cachinhos loiros e olhos azuis; quase sempre sem roupa, com asas e uma auréola na cabeça; pulam de nuvem em nuvem, voam e tocam harpa sem parar. Isso é o que as pessoas geralmente pensam quando falam em anjos. E o imaginário popular não para por aí. Há quem diga que quem morre vira anjo, quando não estrela. Outros acham que os anjos merecem culto, adoração. Afinal de contas: Quem são os anjos, realmente? O que eles fazem? O que têm a ver conosco? A Bíblia tem as respostas.
 
De acordo com o Livro sagrado, os anjos, assim como nós, são seres criados por Deus (Hb 2:7); existem milhões deles (Ap 5:11) e sua missão especial, além de servir ao Criador, é agir em favor dos seres humanos – principalmente dos que têm um compromisso com Deus (Hb 1:14). Eles são invisíveis, o que não significa que sejam “espíritos desencarnados” ou algo assim (veja 1Co 15:44). Os anjos voam (Dn 9:21; Ap 14:6); são rápidos como a luz (Ez 1:14; Mt 28:2,3); têm poderes especiais (Sl 103:20; 2Rs 19:35); e seu status está um pouco acima da humanidade (Hb 2:7). 
 
Os anjos desempenham um papel fundamental no plano da salvação. Eles transmitem mensagens de Deus aos homens (Lc 2:9, 10; Ap 1:1); mantém um contato constante entre o Céu e a Terra (Gn 28:12; Jo 1:51) e, por fim, participarão de forma ativa na volta de Jesus, reunindo os que permaneceram fiéis a Deus (Mt 24:31).
 
A Bíblia também fala dos anjos do mal (Ef 6:12). Eles eram anjos bons que decidiram se rebelar contra Deus (Ap 12:9; Jd 6). Hoje são chamados de demônios. Esses seres perversos têm prazer em causar sofrimento e levar as pessoas ao pecado (Jo 10:10; 1Pe 5:8). O líder deles é o diabo (Mt 25:41).
Nós vivemos em meio a uma guerra entre as forças do bem e do mal. Mas, no fim do gibi, quem perde a briga é o vilão (Rm 16:20; Ap 21:4). De que lado você quer ficar?
Fontes: Josh McDowell, Respostas convincentes (Hagnos, 2006); Norman L. Geisler, If God, why evil? (Bathany House, 2011); Ellen G. White, A verdade sobre os anjos (CPB, 2009).
 

Curiosa

Magnetismo

Texto Eduardo Rueda
 
“Os opostos se atraem.” Romântico, não acha? Na verdade, essa expressão vem da Física. Quem nunca brincou com um ímã, fingindo ter superpoderes? O magnetismo é um conjunto de fenômenos relacionados à atração e repulsão entre determinados objetos, que ocorrem devido ao movimento dos elétrons nos átomos. 
 
Ao contrário do que muita gente pensa, nem todos os metais são atraídos pelos ímãs. Na verdade, a maioria deles não responde ao magnetismo de forma perceptível aos sentidos. Entre os poucos que respondem, estão: o ferro, o cobalto e o níquel.
 
Não confunda fenômenos elétricos com fenômenos magnéticos. Embora parecidos e intimamente relacionados, eles são diferentes. Esfregar uma bexiga no cabelo e atrair pedacinhos de papel com ela é um fenômeno elétrico. Grudar enfeites na geladeira faz parte de um fenômeno magnético.
 
Além do funcionamento da bússola, outro exemplo da ação do magnetismo é a aurora polar. É um fenômeno luminoso muito bonito observado no céu durante a noite nas regiões polares. Ele acontece quando partículas elétricas vindas do Sol se chocam com os gases atmosféricos, atraídas pelo campo magnético da Terra.
 
Talvez o fato mais curioso relacionado ao magnetismo na atualidade seja a experiência do cientista Andre Geim, da Universidade de Nijmegen, na Holanda. Para o espanto da comunidade científica, ele fez um sapo levitar. Isso graças a um aparelho capaz de criar um campo magnético até mil vezes mais potente que um imã comum. Haja sapo pra tanta criatividade!
Fontes: Rubens N. Faria e Luis Felipe C.P. Lima, Introdução ao magnetismo dos materiais (Livraria da Física, 2005); Humberto de Andrade Carmona, doutor em Física e professor na Universidade Estadual do Ceará; e site explicatorium.com.
 

Ponto de vista

Artes marciais

Texto Alex Machado
 
Socos, pontapés e sangue... muito sangue! Essa é a rotina de Vitor Belfort, famoso lutador de MMA. Apesar de sua cara de mau, ele garante que tem um bom relacionamento com Deus e faz questão de exibir o nome “Jesus” estampado em seu calção de luta. Sua atitude incomum de agradecer a Deus depois de espancar o adversário tem sido alvo de um interessante debate: É possível conciliar artes marciais e cristianismo? Para que você reflita nessa questão, separamos três posições.
Sim
Muitos religiosos consideram possível desvincular as artes marciais de sua filosofia mística e praticá-las apenas como esporte. Para eles, o cristão pode praticar qualquer tipo de luta desde que a intenção seja boa. A Igreja Renascer, por exemplo, optou pelo MMA como instrumento para arrebanhar novos fiéis. Para o bispo George Ramos, um dos idealizadores do projeto, é melhor ver um jovem perder o sangue no octógono do que vê-lo perdendo a vida para as drogas e para o crime.
Não
Entre os que protestam contra a prática de artes marciais encontra-se o pastor Ciro Zibordi, da Igreja Assembleia de Deus. Ele explica que o grande problema não é a violência, mas o fato de as artes marciais estarem relacionadas a práticas ocultistas orientais. Para ele, qualquer cristão que se aventura em esportes como o MMA acaba se envolvendo em filosofias ocultas.
Depende
Os adventistas do sétimo dia não se opõem às atividades físicas que ajudam no desenvolvimento de autodisciplina e de habilidades na área de segurança e autodefesa, aumentando a capacidade do indivíduo de proteger-se e ajudar os outros em situações diárias e emergenciais. No entanto, deve ser evitada a prática de qualquer arte marcial que enfatize a agressividade, a rivalidade egoísta e que não coopere para o desenvolvimento físico, mental e espiritual do ser humano.
Fontes: Declarações da Igreja (CPB, 2003); sites adventist.orgnovotempo.com/novachance; novotempo.com/namiradaverdade; e g1.globo.com; blog cirozibordi.blogspot.com.br.
 

Tudo ligado

Dos tridentes a Tiradentes

Texto Eduardo Rueda
 
Tridentes
Eram um tipo de arma branca antiga semelhante a uma lança, com três pontas. O tridente (nada a ver com chiclete!) foi aperfeiçoado por gregos e romanos e muito utilizado em guerras, como também nos circos ou arenas de Roma pelos gladiadores. Muitas vezes associado ao cetro de Netuno, ou Poseidon, o deus dos mares na mitologia, o tridente ficou famoso mesmo foi nas mãos do...
Diabo
Geralmente retratado com orelhas e rabo pontiagudos e um tridente na mão, dizem que ele gosta de espetar pessoas nos caldeirões do inferno, torturando-as por toda a eternidade. Mas não é bem assim que a Bíblia ensina. A caricatura do mal, criada na Idade Média, hoje soa infantil e colabora para a descrença, de alguns, na existência do diabo. Outros, ainda, o imaginam chifrudo e vermelho como o...
Catchup
Feito à base de tomate, é utilizado em sanduíches, batatas fritas e todo tipo de fastfood. O condimento vermelho tem como seu antepassado o ketsiap, um molho chinês de sabor picante, mas sem tomates. Somente no século 18, nos Estados Unidos, o tomate encontrou sua vocação, passando a compor o molho.
Na medida do possível, é bom evitar o catchup, entre outros alimentos que ofererem risco à saúde dental – esse é o conselho dos dentistas, colegas de profissão de...   
Tiradentes
Seu nome verdadeiro era Joaquim José da Silva Xavier. Além de dentista, foi tropeiro, minerador, comerciante, militar e ativista político. Atuou nas capitanias de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Possuidor de vários títulos, Tiradentes é reconhecido como herói nacional, mártir da Inconfidência Mineira, patrono cívico e das polícias militares do Brasil – nada mau, pra quem não tinha um tridente e comeu “o pão que o diabo amassou”, sem catchup!

 

Autor: Eduardo Rueda - Publicado em: 01/04/2013 - Fonte: