Perguntas

Homossexualidade, genética, mulheres e existência de Deus
© Argus/ Fotolia

Ponto de vista

Prática homossexual

Texto Wellington Barbosa e Eduardo Rueda

Embora pareça algo recente, o envolvimento entre pessoas do mesmo sexo remonta à antiguidade. Para os gregos e romanos, por exemplo, a relação sexual entre homens era comum, incluindo até mesmo figuras conhecidas como Alexandre o Grande, Júlio César e, possivelmente, o filósofo Sócrates.
 

Com a ascensão do movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), o tema da homossexualidade tem ganhado destaque não somente na mídia, mas também no campo da religião. Liberais e conservadores têm apresentado seus argumentos, e a disputa parece não ter previsão para acabar.
 

Sim

No Brasil, entre as igrejas chamadas inclusivas, que se declaram favoráveis à relação entre pessoas do mesmo sexo, se destacam: Igreja Cristã Evangelho Para Todos, Igreja da Comunidade Metropolitana, Comunidade Cristã Nova Esperança, Igreja Cristã Contemporânea e Comunidade Cidade de Refúgio. Algumas delas, aliás, são lideradas por casais homossexuais.

Um dos principais argumentos dessas denominações, de modo geral, é que a homossexualidade é uma manifestação da diversidade provida por Deus, sendo, portanto, algo positivo, em vez de pecaminoso. Segundo elas, a Bíblia não condena, em nenhum momento, as práticas homossexuais. O que ocorre, afirmam, é uma interpretação equivocada de certos textos das Escrituras. Exemplo disso seria o suposto caso amoroso entre Davi e Jônatas, em 1 Samuel 18.

 

Não

Para a Igreja Católica, a relação entre indivíduos do mesmo gênero é contrária à lei natural e encontra oposição na Bíblia (Gn 19:1-29Rm 1:24-271Co 6:9, 101Tm 1:10). Apesar disso, o Catecismo incentiva o respeito aos que mantêm esse tipo de relação.
 

Os adventistas do sétimo dia também entendem que, de acordo com o Livro Sagrado, o padrão estabelecido por Deus na criação é a união heterossexual (Gn 2:24). O sexo – em suas mais variadas formas – praticado fora do círculo do casamento entre homem e mulher está proibido (Lv 20:7-21; Rm 1:24-27; 1Co 6:9-11). Apesar de não aprovar as práticas homossexuais, a Igreja Adventista reconhece a dignidade de cada ser humano e procura, à semelhança de Jesus, tratar todos com amor, independentemente de credo, cor, idade ou orientação sexual.
 

Fontes: Luciano De Crescenzo, História da Filosofia Grega (Rocco, 2012); William Naphy, Born to Be Gay: História da Homossexualidade (Edições 70, 2006); Igreja Cristã Evangelho Para Todos (igrejaparatodos.org); Igrejas da Comunidade Metropolitana (icmbrasil.com); Comunidade Cristã Nova Esperança (ccnei.org); Igreja Cristã Contemporânea (igrejacontemporanea.com.br); Comunidade Cidade de Refúgio (jesuscidadederefugio.com.br); Catecismo da Igreja Católica (Loyola, 2000); Declarações da Igreja (CPB, 2012). 

 

Curiosa

Genética

Texto Eduardo Rueda

“Cara de um, focinho do outro.” Apesar de um recém-nascido ainda não ter as formas do rosto bem definidas, parecendo mais com um joelho, é comum se ouvir: “Ele tem o nariz do pai”; “As orelhas são da mãe”; “Os olhos são da avó”, etc. O conjunto de processos biológicos responsáveis pela transmissão de características de uma geração para outra é chamado de hereditariedade.

Visualize um colar de pérolas com vários metros de comprimento. Imagine também que, nesse colar, caibam entre 20 e 25 mil pérolas. Agora, tente imaginar esse colar dobrado ou enrolado centenas de vezes, como uma espiral, e de forma extremamente compacta. Pronto! Isso é o que seria um cromossomo. Você tem 46 deles, em cada uma das 100 trilhões de células do seu corpo. Os “colares” seriam o DNA, e cada pérola seria um gene – unidade básica da herança genética.

É nessas “pérolas” que estão todas as informações necessárias para a formação de um ser vivo, e que passam de pai para filho. Para se ter uma ideia, um grama de DNA seria capaz de armazenar 2 petabytes de informações – o equivalente a 3 milhões de CDs. O material genético de uma única célula contém informação suficiente para encher vários volumes de uma enciclopédia.

O pacote de informações hereditárias contidas em nosso DNA é chamado de genoma. É como se fosse um manual de instruções altamente complexo, repleto de combinações, que podem determinar desde a cor dos olhos a alguns aspectos da personalidade. Haja fé pra acreditar que tudo isso surgiu por acaso!

Fontes: Maria Regina Borges-Osório e Wanyce Miriam Rosinson, Genética Humana (Artmed, 2013); Richard Dawkins, The Blind Watchmaker (Norton, 1986); Conceitos de Genética (Artmed, 2010); mundoestranho.com, “Qual a diferença entre DNA, gene e cromossomo?”   

 

Tudo ligado

Do talher à mulher

Texto Eduardo Rueda

Talher

Até por volta do ano 1000, a moda era comer com as mãos. O uso do garfo se tornou popular quando uma princesa do Império Bizantino se casou e levou consigo um objeto de duas pontas com o qual fisgava a comida. Ela foi repreendida pelo clero, que achava um desrespeito “ferir” os alimentos dados por Deus. Foi só no século 19 que essa novidade se tornou popular. Ainda hoje muita gente dispensa garfo e faca, como é o caso de quem mora em...

Marrocos

Fica no extremo noroeste da África. Sua principal língua é o árabe, e a religião oficial, o islamismo. Dizem que por lá é possível trocar camelos por uma esposa. Além de ser conhecido por sua culinária variada, o país abriga a universidade mais antiga do mundo, Karueein, fundada em 859 d.C. Os marroquinos têm o hábito de beber chá verde com hortelã e muito, muito...  

Açúcar

Antes de ele conquistar o mundo, as pessoas utilizavam mel ou cana para adoçar. Apesar de ser saboroso, o açúcar é um dos principais responsáveis pela formação de cáries. Ele também contribui para doenças como diabetes, arteriosclerose e obesidade. Causador de celulite, estrias, rugas e desequilíbrio hormonal, o açúcar é um dos grandes vilões para a saúde da...

Mulher

Mais sensível, sentimental, comunicativa e amorosa do que o homem, consegue prestar atenção em várias coisas ao mesmo tempo, sem se distrair. Além disso, vive mais, não fica calva e paga menos no seguro do carro. Segundo a Bíblia, foi criada a partir da costela de Adão (Gn 2:21-23) para ser sua companheira e mãe da humanidade. Infelizmente, em muitos lugares, ainda é alvo de discriminação. Muito além do fogão e dos talheres, ela, que gosta de açúcar, tem conquistado cada vez mais seu espaço na sociedade. Espaço que nem os camelos de Marrocos poderiam comprar.

 

Básica

Deus existe?

Texto Eduardo Rueda

Essa talvez seja a pergunta mais intrigante de todos os tempos. De acordo com a Bíblia (1Rs 8:27; Sl 139:17, 18; 1Tm 6:16), Deus ultrapassa os limites da compreensão humana. Ele é grande demais para ser analisado por métodos científicos. Assim, é impossível arranjar “provas” da existência de Deus. O que temos são evidências, fortes indícios de que Ele existe e dos rastros que deixou na história.

“Nada surge do nada”, já dizia o provérbio latino. De acordo com a lei física de causa e efeito, tudo teve uma causa originadora. Einstein mostrou, com sua teoria da relatividade, que o Universo teve um começo. Então, o que havia antes de o Universo começar a existir? A existência de um Ser eterno, sem começo nem fim, é necessária para explicar a origem do cosmo.

Afirmar que a natureza é fruto do acaso, é o mesmo que dizer que o iPhone e o iPad surgiram como resultado de uma explosão na fábrica da Apple. A complexidade do corpo humano, por exemplo, é inúmeras vezes maior que a de um tablet. Um projeto como esse pressupõe a existência de um Designer. A perfeita sintonia entre diferentes tipos de forças da natureza, favorecendo a existência de vida na Terra, também aponta para um projetista original.

Em todas as civilizações, existe a ideia de Deus – interpretada, é claro, de acordo com a cultura local. No mundo inteiro, não existe nenhum povo que seja completamente sem religião. A tradição a respeito da existência divina e o costume de adorar um ser superior remontam aos primórdios da humanidade, dando indicações de uma origem comum.

Ninguém nasce ateu. Psicologicamente falando, a crença em Deus é o sentimento primeiro e natural de todas as pessoas. Se existe esse sentimento, é razoável supor que exista também o seu correspondente.
Por fim, a maior evidência da existência de Deus são os milhões de pessoas transformadas por Ele após a conversão. Experiência capaz de promover verdadeira felicidade e paz.

Fontes: Adolfo Semo Suárez, Marcos De Benedicto, Rodrigo P. Silva, Fé Inteligente (material didático de Ensino Religioso, CPB); William Lane Craig, “Does God Exist?”, em reasonablefaith.org; Urias Echterhoff Takatohi, em Michelson Borges, Por que creio (CPB, 2003); Douglas Reis, capelão universitário do Instituto Adventista Paranaense (IAP).

Autor: Eduardo Rueda - Publicado em: 05/01/2014 - Fonte: